ll Encontro Arte, Cidade e Urbanidades acontece de 06 a 08 de dezembro

ll Encontro Arte, Cidade e Urbanidades acontece de 06 a 08 de dezembro

O encontro, que acontece até o dia 08 de dezembro, reúne artistas, pesquisadores e agentes culturais para discutir e divulgar as práticas artísticas a partir de suas potencialidades em criar e articular outros modos de ver, fazer e viver as cidades e construir outros imaginários/lugares. O evento é composto por mesas, sessões de comunicações, intervenções urbanas, apresentações artísticas, oficinas, e uma exposição processual.

Cinquenta anos após os protestos mundiais de 1968 e o texto de Henri Lefebvre, Le droit à la ville, procura-se debater o papel das práticas artísticas na cidade e refletir sobre o direito a uma cidade sensível. A arte resiste a alguma coisa? Como as práticas artísticas contribuem com o espaço social e público? Quais ações nos ajudam a repensar ou re-imaginar os espaços urbanos? Como resistir ou reagir em frente aos desafios, urgências e ausências?

O evento gira em torno de três temas relacionados com as experiências artísticas/sensíveis no espaço urbano: [1] “O direito a uma cidade sensível” que lida com as questões e indagações dos sujeitos que praticam a urbe, com a presença de Brígida Campbell (MG), artista e professora do curso da graduação de Artes Visuais da Escola de Belas Artes da UFMG; [2] “Arte em contextos (extra)urbanos” que propõe discutir a urbe pela lente tanto da arte, quanto da atuação política e da mobilidade artística, com a presença por Skype de Graziela Kunsch (SP), artista, educadora, curadora e editora; e [3] “Perspectivas de ação/estética/ética/política de ocupação no espaço urbano” que parte de uma perspectiva transdisciplinar entre as áreas de performance, grafite, psicologia e geografia, para refletir sobre as individualidades e coletividades que marcam os espaços urbanos, com a presença de Eloisa Brantes (RJ), professora adjunta do Departamento de Linguagens Artísticas/Instituto de Artes – UERJ.

Ainda dentro da programação e com entrada gratuita, acontecerão quatro oficinas, intervenções e ações artísticas, o concerto Bodyscape do artista Luca Forcucci, performances, o workshop LUTO, da artista e pesquisadora Talitha Andrade, exibição de filme (com bate-papo após a sessão) e a exposição Arte, Cidade e Urbanidades, na galeria Cañizares.

Importante lembrar que nas diversas atividades busca-se estabelecer uma troca entre os convidados, os participantes, o público e a cidade fazendo com que as práticas e as discussões possam contribuir com o pensamento sobre arte, cidade e urbanidades.

 

PROGRAMAÇÃO

06/12 | QUINTA-FEIRA
8:00 – 17:00 Performance itinerante: Um dia – Sofia Boito – Centro
13:00 – 14:00 Abertura do encontro e da exposição Arte, Cidade e Urbanidades (Cartografia Afetiva –
Larissa Leão; Projeto Invasões – Lucas Feres e Lucas Lago; Vendido – André Quintino Lopes; Vendo –
José de Deus; Você fala Pretuguês? – Maria Macêdo; registro processual de ações e performances) –
Galeria Cañizares
14:00 – 16:00 MESA – O DIREITO A UMA CIDADE SENSÍVEL – Salão Nobre
– Ciane Fernandes – Atravessando o Autismo: Intoxicação urbana e re-existências
somático-performativas entre público e privado
– Carlos Alberto Ferreira – Cidade Cega: uma encenação pelo direito a uma Cidade Sensível
– Juliana Lopes – Entre o coletivo e o individual: a potência imaginativa habitando os muros de
Salvador
­ Brígida Campbell – Ocupar e imaginar a cidade. O que queremos para o espaço público?
Mediação: Ludmila Britto
16:00 – 17:00 Workshop: LUTO – Talitha Andrade – Galeria Cañizares
17:00 – 19:00 SESSÃO TEMÁTICA 1 – Salão Nobre
– Ludmila Britto – Festejar e Cozinhar: pequenas (e potentes) revoluções
– Rafael Câmara – Mulheres, arte e espaço público uma reflexão sobre o ativismo artístico
feminino
– André Lopes – Twindow: uma experiência de convívio, entre vizinhos, na era das redes sociais
– Leidiane Santos Oliveira – O Soul tomou conta da cidade: Gerson King Congo e Toni Tornado
como subversão a Ditadura Civil Militar
19:00 – 20:00 Exibição de filme e bate-papo: Sempre verei cores no seu cinza – Direção: Ana Bela Roque;
Eloisa Brantes – Pátio/EBA

07/12 | SEXTA-FEIRA
08:00 – 12:00 Oficina e intervenção urbana: Teia – Lenine Guevara – Sala 6/Mendonça Filho
09:00 – 12:00 Oficina de SoulCollage® sobre subjetividade e espaço urbano: Que cidade te habita? –
Juliana Mendonça Lopes e Vinícius Andrade de Souza – Sala 2/Casarão
09:00 – 11:00 Workshop: LUTO – Talitha Andrade – Local a combinar com a artista
10:00 Performance itinerante: Tálamo – Maria Macêdo – Centro
12:30 – 19:30 Performance: Chorar os Filhos – Nina Caetano – Praça Pública
14:00 – 16:00 MESA – ARTE EM CONTEXTOS (EXTRA)URBANOS – Salão Nobre
– Maicyra Leão – Práticas de cuidado e cotidiano: acoplamentos a partir da arte e do materno
– Augusto Albuquerque – Instituto Sacatar: uma esquina do mundo em Itaparica
– José Eduardo Ferreira Santos – Deslocamentos estéticos em uma cidade fragmentada: o caso
do Acervo da Laje (2010-2018) nas artes visuais e na memória de Salvador
– Graziela Kunsch (Skype) – Lugar de escuta e escuta do lugar: a Clínica Pública de Psicanálise e
suas traduções em diferentes contextos
Mediação: Tininha Llanos
14:00 Oficina e intervenção urbana: Teia – Lenine Guevara – entorno da EBA
16:00 – 18:00 Ação Artística: Sala de encontro – Vanessa de Castro Girardi – Sala B/PPGAV
17:00 – 19:00 SESSÃO TEMÁTICA 2 – Salão Nobre
– Adriana Gomes do Nascimento, Alice Saute Leitão, Ana Carolina Velho, Tatiana Soledade
Delfanti Melo – Urbanidades e Rurbanidades: perspectivas (inter)disciplinares e
latino-americanas
– Pedro Henrique Azalim Cunha – Foto(poética)grafia do Yoga: direito à cidade artística-sensível
– Isabela Esteves Gomes – Um exemplo estético da mediação e a ética do diálogo da
comunidade do Rodeadouro em Juazeiro
– Ana Luiza Ribeiro Carvalho, Adriana Nascimento e Alice Saute Leitão – E(s)coa: o caminhar
como manifesto político-poético
19:30 – 20:00 Intervenção performática: Coletivo Kareta com Prekito | Eliana Barbosa de Amorim e
Maria Macêdo – Centro

08/12 | SÁBADO
08:00 – 12:00 Workshop criativo: A cidade e a escrita – Sofia Boito – Atelier Livre/Jardim
09:00 – 12:00 Oficina: Geocomunicações aplicadas às Artes Urbanas – Antônio Heleno Caldas –
Laboratório de Poéticas digitais
10:00 – Ação Artística: Observatório do rio que brilha e outras histórias – Taiane Dias e Felipe Caires –
viaduto do Canela
13:00 – Intervenção urbana: Não Autorizada – Liz Under – largo do Campo Grande
14:00 – 16:00 MESA – PERSPECTIVAS DE AÇÃO ESTÉTICA/POLÍTICA NO ESPAÇO URBANO – Salão
Nobre
– Talitha Andrade – LUTO como prática visual de guerrilha urbana feminista
– Marcelo Faria – Espaço, arte e esfera pública: uma tentativa de apropriação
– Thais Portela – Ação estética/política e o direito à cidade no antropoceno
– Eloisa Brantes – Corpos violados : o luto como tática de luta
– Roca Alencar – Espaço público e uso privado: as tensões entre o público e o privado na pixação
soteropolitana
Mediação: Ines Linke
16:00 – 17:40 Concerto: Bodyscape – Luca Forcucci – Galeria Cañizares
17:00 – 19:00 SESSÃO TEMÁTICA 3 – Salão Nobre
– Vânia Medeiros Moreira – Cidade Passo: conversações entre arte, design e etnografia
– Thais Garcia Macambira – Adoe(s)endo na falta de tempo que o tempo tem: possíveis brechas
e respiros em meio ao cansaço contemporâneo
– Maria Emília Rodrigues Regina e Lívia Domingues dos Santos – Prototipagem digital como
resgate de elementos sensíveis nas festas de Largo de Salvador
19:00 – 20:00 – Encerramento – Galeria Cañizares

Deixe uma resposta